sábado, outubro 03, 2009

Hoje deixo-vos com uma sugestão de leitura: "A Sombra do Vento". Uma obra magnífica, um livro dentro de outro, onde as personagens se misturam num enredo brilhante. Um escritor que versa sobre outro, maravilhosamente, que ousa ingressar no mais íntimo das personagens que nos traz a lume. Um livro que demonstra a amizade entre um sem abrigo, que outrora teve família. A solidariedade, a amizade pura, mostrada no gesto e coração de oiro de Daniel, que vê em Fermín Torres algo mais do que a simples aparência "moribunda".

Julian Carax é delicioso, um misterioso escritor que se vai desvelando ao longo da nossa imaginação. Barcelona aaprece-nos sobranceira em tempos idos, reconhecemos nela a devastação do pós-guerra, a ira, a sede cega de vingança, a corrupção trazida pelas mãos de Fumero. Podemos vivenciar os momentos chave de cada personagem como se fossemos os próprios, sentir o mesmo que eles e perdermo-nos pelo "Cemitério dos Livros Esquecidos".

Para abrir o apetite, uma citação, entre outras, que me deixou a pensar:

"Nada alimenta o esquecimento como uma guerra. Todos nos calamos e as pessoas esforçam-se por nos convencer de que aquilo que vimos, aquilo que fazemos, o que apreendemos de nós próprios e dos outros, é uma ilusão, um pesadelo passageiro. As guerras não têm memória e ninguém se atreve a compreendê-las até não haver vozes para contar o que aconteceu, até chegar o momento em que já ninguém as reconhece e regressam, com outra cara e outro nome, para devorar o que deixaram para trás."

A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafon é, de facto, uma história inesquecível.

3 Comments:

At 03 outubro, 2009 01:50, Blogger deep said...

Esta obra é, sem dúvida, inesquecível. Li-a há precisamente dois anos, entre uma sexta e uma segunda-feira.
Alguns meses depois, li "O Jogo do Anjo", que é, de certa forma, a continuação do primeiro, embora, a meu ver, menos apelativo, mas igualmente bom no que respeita ao estilo.

Boas leituras e bom fim-de-semana. Bjs :)

 
At 03 outubro, 2009 11:45, Blogger This is my name. said...

somos. imensidão saída de uma essencia que mal se conhece...À qual a existencia abraça-a. Apesar de tudo, somos isto. E é isto que vamos continuar a ser, sempre pior. Quando desaparecermos todos vão vir outros melhores que nós. Deixámos tudo feito.

 
At 05 outubro, 2009 02:07, Blogger Alien David Sousa said...

Ainda bem que estás de volta Carla. Um grande beijinho. Aceitava a tua sugestão se não tivesse uma pilha de livros para ler :/ :D
Beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home